As mãos que seguram o patinho

 Nikon F4 | Nikkor 35-70mm f2.8 | Fujichrome Provia 100

Nikon F4 | Nikkor 35-70mm f2.8 | Fujichrome Provia 100

Decidi começar a partilhar as histórias – e os dados técnicos - por trás de algumas imagens que podem ver aqui no site, juntando-as numa categoria chamada Bastidores. A primeira, é de umas intrigantes mãos azuis que seguram  uma cria de pato.

Mulheres Dong com roupas tradicionais tingidas de índigo. As peças em prata que se veem nas suas  costas são utilizadas como contra-peso para uma espécie de avental.

A etnia Dong, que habita a província de Guizhou, no Sudoeste da China, veste-se tradicionalmente com roupas azuis. Nas aldeias da região, o método utilizado para tingir os tecidos é ainda artesanal, mergulhando-os numa pasta índigo que se obtém da maceração das folhas de indigofera em água.

Quando estava a fotografar no mercado de Luoxiang, deparei-me com uma vendedora de patos com as mãos visivelmente azuis. Soube exatamente do que se tratava, porque dias antes tinha fotografado uma outra mulher, numa outra aldeia, a preparar a característica pasta. Percebida a ligação, achei que aquele encontro fortuito no mercado contaria muito bem a história do índigo. Utilizando a linguagem universal que todos somos capazes de "falar", pedi-lhe então que segurasse o patinho por uns instantes e fiz a foto.

 Folhas de  indigofera  demolhadas em água...

Folhas de indigofera demolhadas em água...

 ... E a pasta resultante, pronta para lá mergulhar as peças de roupa.

... E a pasta resultante, pronta para lá mergulhar as peças de roupa.

Sempre que ouço a palavra índigo, lembro-me desta imagem e de tudo o que aprendi em tão pouco tempo: qual o aspeto da planta, porque é cultivada, como se faz a pasta e... a resposta para a cor do vestuário tradicional dos Dong. É para isto que servem as viagens. E é também para isto que serve a fotografia.